1977: Ano de luta feminina ou amores perfeitos?

1977. O novo CD&DVD do Luan Santana, um dos maiores cantores do sertanejo universitário no Brasil. O nome, segundo o cantor, é uma homenagem as mulheres, já que no ano foi criado oficialmente o Dia Internacional das Mulheres, comemorado no dia 8 de Março.O álbum possui cerca de 11 faixas e foi anunciado que seria produzido em Agosto, mas só recentemente fiquei sabendo dele, após a Anitta falar no snap que tinha gravado uma música para este álbum do Luan.

passeata_feminina

O QUE EU ACHEI DO ÁLBUM? Incrível, eu amei o cenário lembrando as fábricas de trabalho feminino, as convidadas de vários estilos diferente, Anitta, Ivete Sangalo, Sandy, Marília Mendonça e até Camila Queiroz, que nem cantora é. Amei o figurino mais neutro e escuro do Luan, a gravação e movimentação das câmeras e a edição com outros takes com destaque nas convidadas. Outra coisa maravilhosa é o cuidado do DVD, a embalagem o toca-fitas, eu achei genial, um produto realmente que todo fã do Luan terá vontade de colecionar.

Massss, apesar de todos os pontos positivos, teve um ÚNICO ponto negativo que me intrigou MUITO. As letras das músicas (são lindas e doces, maravilhosas). A minha critica é que para um álbum titulado 1977, que segundo o cantor foi inspirado na força das mulher, mas letras apenas de amor não homenageiam nós mulheres (pelo menos, não eu).

A CONTRADIÇÃO: LETRAS SOBRE AMORES

Pensando então nessa lógica, o que eu esperei das letras? Empoderamento, força, luta e amor próprio. O que o Luan nos apresentou? Melodias de apaixonados, o amor do casal, a vida amorosa e a felicidade apenas coletiva. Poxxxxxa Luan!

“Um presente preparado para você desembrulhar” WHAT? Ok, a licença poética super convém nessa frase, mas o que isso tem haver com 1977? A última coisa que as mulheres de 1977 e até mesmo algumas de hoje em dia querem é ser um presente!

As três faixas apresentadas acima foram minhas favoritas, porém (mais uma vez) preciso reforçar: são músicas sobre o amor! Eu, como mulher, não me senti nenhum pouco homenageada com esse DVD titulado 1977 que segundo o Luan era para homenagear as mulheres e trazer mulheres poderosas na música brasileira.

Pode ter sido algo legal para as convidadas (apenas mulheres), mas para as fãs mão houve homenagem referente a data. Empoderamento é tudo, feminismo é duro e a luta não é bela (e nem em casal) como descritas nas canções de Luan Santana. O título não faz jus ao trabalho. Apenas isso!

Me acompanhe também nas outras redes sociais:

Facebook – Instagram – Twitter – YouTube


Leave a Reply